Entrevista de Emprego – O que fazer quando o recrutador não conhece sua área de atuação?

Pior do que saber que estamos sendo avaliados por alguém é ser avaliado por alguém que conhece muito pouco ou quase nada da nossa área de atuação, esse é um sentimento e fala que eu já ouvi inúmeras vezes, de várias pessoas que estão passando por essa fase de transição de carreira, de entrevista de emprego, de recolocação profissional.

E acredite: Isso acontece!!!

O que fazer nessa situação?

  • Uns simplesmente irritam-se e perdem a grande oportunidade de desenvolver um clima empático com o recrutador;
  • Alguns chegam a ser até irônicos;
  • Outros ficam mais à vontade e logo percebem que sua inteligência interpessoal e seu marketing pessoal e profissional poderá ser o grande diferencial nesta situação e advinha o que acontece…

Eles simplesmente avançam para as próximas fases.

Tem recrutadores que fazem apenas uma triagem para identificar quais candidatos tem os valores e o estilo que a empresa procura, um responsável técnico da vaga em questão é que em alguns casos avaliará mais cuidadosamente as competências técnicas desejadas, por isso, prepare-se para em algum momento da sua vida falar com alguns profissionais de seleção que não entenderão quase nada da sua área de atuação, a forma como você vai lidar com essas situações poderá ser decisiva para te ajudar ou te atrapalhar bastante.

Lembre-se sempre:

Se você foi convidado para fazer umaentrevista, você está 50% aprovado, os outros 50% dependerá de alguns fatores técnicos, perfil da vaga e alguns fatores comportamentais, como:

  • Pontualidade – Se você consegue chegar no horário combinado tem grandes chances de começar bem, porque essa é a primeira avaliação, o primeiro teste. Claro que imprevistos podem acontecer, porém, quando você cumpre o combinado, isso revela respeito pelo tempo precioso do outro e responsabilidade de sua parte.
  • Simpatia – Você faz questão de demonstrar que é uma pessoa agradável?

Às vezes isso é tão natural que as pessoas não percebem que são agradáveis, mais alguns indicadores que podem te ajudar a se auto avaliar são:

Você costuma cumprimentar as pessoas, desejando um Bom Dia, Boa Tarde, Boa Noite de forma empática?

Sim! Porque podemos falar essas palavras de cara feia, de forma indiferente ou sorrindo, olhando nos olhos e de fato desejando que o outro tenha de verdade um Bom Dia.

Você costuma pedir licença para entrar no elevador, ou chega correndo, nervoso, suando nos encontros agendados, às vezes até mesmo sem nem lembrar o nome certo da pessoa com quem você vai falar?

  • Planejamento – Tem pessoas que marcam 2 ou 3 entrevistas no mesmo dia, claro que atualmente isso não é tão comum, mas acontece, e muitas vezes o candidato não conta com os imprevistos de trânsito, almoço e atrasos por parte do recrutador.

Planejar-se é fundamental para você não perder nenhuma das oportunidades e estar plenamente presente quando chegar a sua hora de vender-se bem, frente ao recrutador na sua entrevista de emprego, não adianta querer fazer tudo ao mesmo tempo.

O recrutador costuma entender se você explicar que tem muito interesse e que sua disponibilidade aplica-se a tais e tais dias e horários, eles também estão interessado em você. Lembre-se: Existem interesses de ambos os lados, não se desespere querendo dizer sim para todos nos horários propostos por eles quando isso não é viável para você.

Às vezes esse posicionamento pode até chamar mais atenção positivamente falando, afinal de contas, existem outras empresas que podem estar interessada em você, essa é uma das mensagens, basta propor isso de modo sútil e educado.

Leve sempre mais uns dois currículos impressos, vai que alguém seja convidado a participar da entrevista e essa pessoa não tenha acesso ao seu cv, você poderá mostrar que se planejou e oferecer um cv para esse convidado(a), te garanto que ganhará ponto com isso, porque trata-se de planejamento e cuidado.

  • Preparação – Você se prepara para suas entrevistas? Muitas pessoas desejam tanto esse momento, mas não se preparam, não estudam a empresa, não estuda o perfil da vaga, não estuda nem o próprio currículo e nem revisa as possíveis respostas para aquelas perguntas básicas, que já virarão até clichês, se você não está preparado para essas, como se sairá então em uma entrevista mais elaboradas, focadas em competências?

Dentro do planejamento também constam: O cuidado com a roupa, cabelo, maquiagem, sapatos, números apresentados, tudo isso revela a preparação que você teve, nada disso passa desapercebido, capriche!

Para esses fatores de seleção não necessita que um profissional de RH entenda tecnicamente sua área de atuação, ele pode até conhecer superficialmente porque o que ele realmente precisa conhecer é de pessoas, de perfil, de competências, isso sim, fará diferença na hora escolher o melhor candidato, por isso, aproveite todas as oportunidades que você tiver, mostre para os recrutadores o porquê valeu a pena ele ter investido tempo conhecendo você, o quanto você é especial, o quanto você deseja essa oportunidade e o quanto você deseja voltar a fazer o que você tanto gosta e o quanto você está grato(a) pela oportunidade.

Claro que também será um momento para você avaliar se esse é o tipo de empresa que você também gostaria de trabalhar, se irá te atrair ou não a empresa, a proposta, mas voltando no tema gratidão…

Gratidão é um dos sentimentos e comportamentos que mais atraem qualquer pessoa a desejar estar perto de outra, a dar atenção a alguém, porque quem é grato revela valores nobres, revela ser uma pessoa do bem, sei que esse tema sobre entrevista já foi bem explorado por vários profissionais, mas quis te ajudar com esse ponto de vista porque constantemente vejo esse tipo de reclamação e sempre penso, poxa vida, tomara que esse profissional entenda o que escrevi acima, se você leu e gostou, gratidão.

Se quiser comentar e compartilhar será um presente poder ajudar outras pessoas que estão passando por esse momento delicado que é a busca da tão sonhada recolocação.

Eu sou a Janaína Lima, Coach de Carreira, trabalho forte com empregabilidade e sou a fundadora do Programa Recolocação Profissional 2.0, compartilhando um pouco do meu conhecimento para ajudar você a ir além, se você não baixou meu e-book gratuito ainda, não perca tempo, lá tem dicas importantes para acelerar sua recolocação e 3 modelos de currículos. Cadastre-se para receber o e-book nesse link: suarecolocacaoprofissional.com.br/ebook-gratis

 

PS: Gostou desse artigo? Então, compartilhe com seus amigos escolhendo um canal abaixo e depois comente o que achou aqui embaixo! Deixe eu saber o que achou! Obrigada!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!